segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Woodstook

Um dia desses, Edu e eu estavamos sentados no tapete da sala, com um bom vinho, um cigarro e um filme (não me vem o nome agora). O filme retratava o festival de Woodstok. (O que foi aquilo meu Deus!!).
Ficamos apaixonados. Com uma vontade louca de estar naquele lugar

Lembrei também da gente no Rock in Rio do ano passado, com a chuva caindo horrores e conseguimos entrar e curtir o show do Axl Rose (sim, Axl, pois o Guns, o Guns...)

Estou relembrando este momento pois neste exato estou acompanhada de Janis...

que também se apresentou brilhantemente no festival. he he

Ah, acabei de lembrar que herdei dois LP´s do festival, terminando a pintura da sala, a vitrola vai ter um lugar especial:)

Um pouquinho de bagagem para seu conhecimento:

Woodstock fez nascer um dos melhores e
mais geniais elencos de imortais do rock.
15, 16 e 17 de agosto de 1969,
 três dias de Paz, Amor e música.
Este era o lema, o sonho e a religião
 de 650 mil pessoas
que pisaram no solo roqueiro de Woodstock.
Desde então, o rock nunca mais foi o mesmo.



O mundo, e especialmente os Estados Unidos, passavam por tempos conturbados. Guerras, violência, desigualdade social e muita desilusão. A década de 60, a mais desorientada do século, conhecia o seu fim com uma sensação de: “e agora?”. E foi exatamente neste clima, um tanto sombrio e amedrontador, em que quatro jovens visionários, e com algum dinheiro sobrando no bolso, John Roberts, Joel Rosenman, Artie Kornfeld e Michael Lag, decidiram, simples assim, fazer um Festival de Rock.




Woodstock aconteceria fora da cidade grande, enfatizando o clima existente de “volta ao campo”, mas a intenção sempre foi de realizar o “maior festival musical de todos os tempos”. E para atrair seu público alvo, os jovens, foram usados todos os símbolos e frases consagrados pela contracultura. O próprio slogan do evento, “três dias de paz e música” , era baseado na contracultura. O slogan continha em si o sentimento de antiguerra, o conceito da Era de Aquarius (disseminado com o musical ”Hair”), e a intenção dos organizadores de manter a paz no evento. O próprio Kornfeld explicou que festival não deveria ser pensado como construção de palcos, assinatura de contratos ou venda de ingressos. Woodstock deveria ser um estado de espírito, um acontecimento para se tornar um ícone de toda uma geração.



Os organizadores foram considerados loucos e pretensiosos por intencionarem realizar o maior festival de música já feito e reunir 100 mil pessoas. Mas Woodstock superou todas as expectativas e se revelou um verdadeiro fenômeno. Quase meio milhão de pessoas foram até Woodstock aproveitar 3 dias de mentes abertas e muito rock. O festival acarretou um dos piores engarrafamentos em Nova Iorque, mas não houve nenhum acidente ou violência durante o festival. Criou-se uma nação dentro de uma nação, reunida por seus ideais e sua vontade de se divertir, embaladas ao som de The Who, Jefferson Airplane, Jimmy Hendrix, Janis Joplin, Joe Cocker, Bob Dylan… Uma seleção dos sonhos, montada com o melhor da safra roqueira sessentista, que só precisaram de um palco para fazer história.



O evento tornou-se um verdadeiro ícone da contracultura. A força jovem e a liberdade assustaram os mais velhos e conservadores. As dimensões de Woodstock foram além das milhares pessoas reunidas no festival, tanto que as discussões sobre sua importância persistem, mesmo 3 décadas depois. E até hoje o evento divide opiniões.

  Muitos dizem que Woodstock foi o fim de toda a ingenuidade e utopia que cercavam os anos 60. Outros dizem que foi o apogeu de todas as mudanças e desenvolvimento na sociedade. Mas todos concordam que o festival foi um marco importante não só para a história da música, do Rock and Roll, mas um marco cultural e uma realização para a história do homem






E o melhor foram os dados

Público Previsto: 100 mil pessoas;


Público Pagante: 200 mil pessoas;


Público Presente: 650 mil pessoas;

Dá para crer??/



Acho que hoje vou apreciar um vinho...
Ao som de Janis
Ao som da guitarra de Hendrix



Já pensou?


Oh Lord, won't you buy me a night on the town?
I'm counting on you, Lord, please don't let me down
Prove that you love me and buy the next round
Oh Lord, won't you buy me a night on the town?







Um comentário:

  1. Ótimo filme, maravilhosa noite. Seu texto está muito bom. Parabénsnsnsnsnsns.
    Te amo.

    ResponderExcluir